ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

28 dezembro 2012

É melhor investir em imóveis do que em relacionamentos






Desde pequena sou observadora, mas tudo na vida que é uma benção também é uma maldição. Observo tanto que acabo vendo coisas que não gosto e me deixam triste. E além disso tenho uma memória excelente, lembro de tudo, de datas, nomes, momentos.

De repente cismo com alguma coisa e começo a observar. Já faz muito tempo que venho reparando algumas coisas em casais amigos. Instintivamente, mesmo novinha, sempre achei que isso de casamento, de dividir vida, era uma coisa meio sufocante, eu sentia isso, mas não conseguia explicar o porquê.


Tenho lido muito sobre a questão do papel da mulher em uma sociedade machista e percebo como muitas das minhas crenças eram errôneas e talvez eu sentisse isso no fundo da alma, que alguma parte discurso estava errada, e eu  tentava reagir. Lembro muito de sempre ter escutado uma frase ''para os homens o amor é um capítulo, para as mulheres o livro inteiro''.


Em um patriarcado o que se espera das mulheres era que se jogassem no relacionamento, se entreguem por completo e vivam em função do homem. Mesmo no século 21 vejo em algumas amigas mais disposição para viver a história de amor do que os homens. Eles juram mais, mas na prática quem compra a questão inteira é a mulher, ela vira uma parceira automaticamente, enquanto eles vão encostando.


O tempo passa e amigos que eu vi casar há alguns anos começam a dar sinais de desgaste. Tudo na vida um dia acaba, o problema é quando essa coisa se arrasta meses e faz todos sofrerem.


De tanto observar comecei a perceber o seguinte, vale muito a pena investir em si mesmo, seja estudando, seja fazendo alguma coisa que traga prazer. Também vale a pena investir em imóveis e nos filhos, tem alguma coisa ali de amor incondicional. Mas fora isso, investir em um relacionamento é a maior roubada que a pessoa pode fazer, é como guardar dinheiro embaixo do colchão, depois de anos resolvem usar o dinheiro e ele não vale mais nada, porque são notas antigas.


O outro, a outra, são areias movediças e o que se pode construir em terrenos assim? Nada. O ser humano não é confiável e não é mais tão seguro quanto um dia pareceu ser. Hoje as coisas se movimentam diferente e as pessoas se sentem livres para procurar o que tem vontade de fazer, sem amarras. Isso é muito bom, mas quem investe em um relacionamento tem todas as chances de se dar mal, porque não pode prever as reações alheias.


Vi amigas que investiram pesado em relacionamentos se esfolando vivas. Quantas coisas a gente investe em nós mesmos e não dá em nada? Imagina no outro, esse ser que não conhecemos.


Bom mesmo seria viver o amor, a paixão livremente, sem investir nada além do mínimo, sem sacrifícios e discussões que não levam a nada, deu certo, então vai em frente, emperrou, sai fora, mas não invista.


Não só amigas vi morrer na praia, também as mulheres da minha família. De geração anterior se dedicaram a trabalhar, cuidar dos filhos e incentivar o benhê, esse amor que com o tempo vira encosto. Não receberam nada por isso, pelo investimento no seu amor, pelo contrário, foram abusadas e exploradas até a última gota.


Quando estamos com alguém não damos só nosso amor, também vai a energia, o tempo, muitas vezes o dinheiro, e outras coisas, tudo isso deve ser colocado em um papel e se perguntar se vale a pena investir tanto em alguém e qual será o retorno.


Sempre que escrevo isso alguém vem me dizer que eu sou fria, porque pessoas quando se apaixonam são felizes, a vida é sobre isso. Ah, é mesmo? Bom saber, porque pior do que o amor é o tempo, esse sim devasta tudo e te joga na cara todas as bobagens que você fez. Se eu sei que não vale a pena investir em um relacionamento é porque já perdi alguma coisa e me vi obrigada a fazer as contas e perceber que investir em pessoas sempre dá prejuízo.


Acho ótimo amar, beijar, ficar, se apaixonar, tudo isso é bom demais, mas conheço o prejuízo do dia seguinte, que pode custar anos para a pessoa se recuperar. Por isso quem quiser investir no seu amor tem que ter espírito de monge tibetano, uma coisa desapegada mesmo, então a pessoa investe e não sofre ao perder tudo. Mas eu não sou monge, nem tibetana, sou virginiana e pão dura, não me interessam investimentos que não vão me dar retorno e ainda por cima dão prejuízo.


Meu avô no seu machismo sempre dizia:

-As mulheres nem todo o ouro,nem todo o amor.
Em uma versão atualizada gosto mais de pensar -''As pessoas nem todo o ouro, nem todo o amor''. Precaver não mata ninguém. E tudo que pensamos ser digno da nossa atenção e amor, pode não ser. Mas quem vai cuidar dos nossos investimentos? Nós. E se não prestamos atenção nisso quem vai pagar o erro somos nós.


Iara De Dupont

2 comentários:

Anônimo disse...

"Não só amigas vi morrer na praia,também as mulheres da minha família.De geração anterior se dedicaram a trabalhar,cuidar dos filhos e incentivar o benhê,esse amor que com o tempo vira encosto.Não receberam nada por isso,pelo investimento no seu amor,pelo contrário,foram abusadas e exploradas até a última gota."

Iara, acho que o feminismo te impõe uma visão restritiva e unilateral das coisas. Por exemplo: isso que escreveste, acima, também vale perfeitamente para os homens. No casamento, não são apenas as mulheres que se sentem exploradas e sacrificadas pelo parceiro. A renúncia em proveito do outro e a usual ingratidão deste são imposições que atormentam as vidas de todas as pessoas. O feminismo desumaniza os homens ao abordar esse enorme sofrimento como um problema tipicamente feminino.

Eu sou homem e me identifico profundamente com as experiências de desilusão amorosa que leio aqui no teu blog. E saiba que eu não sou minoria. Tenho vários amigos que investiram pesado em relacionamentos com mulheres volúveis e terminaram mal. Só que a crítica à mulher costuma ser imediatamente condenada como "machismo". Tira esse tapa-olho ideológico para compreenderes os problemas humanos de maneira mais abrangente e generosa.

Penny Lane disse...

Oi Iara!

Acho que foi o contrário: eu te conheci no blog da Lola e comecei e te seguir rsrsrs

E sim, já li muitos relatos no blog dela, sobre a cultura do estupro.É uma coisa que se passa desapercebida, mas quando paramos para analisar, é assustador.E quanto a homens que tem relações com mulheres traficadas, você resumiu em uma só palavra: Monstros.Eu vejo esta novela, e fico agoniada.Fico tentando imaginar como é que pode existir gente TÃO ruim a ponto de escravizar o outro.É o fim do mundo.

E quanto ao seu post, acho que quando uma pessoa se predispõe a um relacionamento, ela tem que ter em mente, que pode sair no prejuízo.Sempre.Porque as novelas, os filmes,o mundo, nos induz à amar.A pessoa que não ama, que não quer nenhum relacionamento é fria,tem problema, ou é gay.Hoje em dia se você vira e diz que não quer casar e não quer ter filhos, no mínimo você é uma dessas coisas acima.Porque amar é muito lindo.Só não falam dos defeitos, né? Que tem gente que suga energias, gente que se encosta no outro tentando levar vantagem, que faz terror psicológico no próximo ( ou agressão física mesmo), que trai descaradamente e te faz se sentir culpado pelo erro dele...inúmeros defeitos que não nos ensinam como lidar com eles.Só julgam quem não quer isso para si mesmo.

Eu outro dia até falei disso lá no blog, que HOJE, eu não quero isto para minha vida.Se acontecer bem,se não acontecer, tenho consciência que não estou perdendo nada.

Excelente post, como sempre ^^

bjs

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...