ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

24 outubro 2012

A história da cicatriz





Tive uma amiga que tinha uma cicatriz pequena no braço. Não sei o porquê mas sempre que eu via a cicatriz alguma coisa me incomodava. Já vi piores e provavelmente eu tenho piores, mas mesmo assim sempre me dava calafrios. Um dia perguntei o que era e ela me disse que tinha caído da bicicleta quando era pequena.

Nunca entendi porque me incomodava tanto. Às vezes ela estava de agasalho e eu não lembrava da maldita cicatriz, mas de repente ela tirava o agasalho e aparecia a marca.
Não era horrorosa esteticamente, conheço muitas pessoas que tem cicatrizes de infância assim, mas a dela sempre me deu uma sensação ruim.

Pouco tempo passou e ela se revelou uma das piores amizades que eu tive na minha vida, nem sei porque digo ''amizade'' se no fundo da minha alma sei que aquilo deve ter sido uma prova divina.
Não lembrava mais dessa história até que contei a um amigo e ele me disse que aquilo era um sinal dos anjos, quando eu olhava a cicatriz recebia a mensagem ''acorda!'', era uma maneira da vida me dizer que aquela amizade só iria me trazer dor e cicatrizes, coisa que eventualmente aconteceu.

Meu amigo deve ter razão, porque pensei muito nisso hoje à tarde. Quantas coisas relevei de amigos e nunca me incomodaram e como de repente uma marquinha no braço de alguém me dava uma sensação de desconforto?

São os famosos sinais que a vida manda, ela tenta de todas as maneiras avisar. Mas já estamos mutilados socialmente, quando pensamos alguma coisa ruim logo o cérebro nos avisa que somos péssimas pessoas por não dar um voto de confiança ao outro. Se eu tivesse me afastado da minha amiga na primeira vez que vi a sua cicatriz e tive um arrepio na nuca, minha vida nunca teria caído nos abismos que caiu. Foi a única vez que errei com alguém e pude entender aquele ditado de más companhias nos levam a maus caminhos.

Mas é difícil mudar isso e se condicionar, aprender a confiar na intuição, não nas regras sociais.
Caso eu tivesse me afastado da minha amiga e quisesse ter sido sincera, então eu teria ligado e dito a ela que não seriamos mais amigas devido a cicatriz no braço dela que me provoca uma sensação ruim. Mais louco do que isso não existe, se alguém me ligasse e dissesse isso eu ia achar a pessoa pirada e que provavelmente estaria usando drogas.

A vida avisa, todos podem prestar atenção, depois que acontece alguma coisa ruim parece que todos os sinais vêem a nossa mente, tão claros que batemos a cabeça na parede e nos perguntamos como não vimos isso antes.

No meu caso agora não adianta chorar, o que tinha que perder, já perdi e não tem como recuperar o tempo. E espero que tenha sido lição aprendida, avisos não chegam em e-mail com grandes explicações, eles aparecem em sensações, a famosa intuição.

Avisos são brisas, passam voando, mas passam várias vezes, tentam de todas as maneiras deixar sua mensagem.
E as pessoas presas aos seus códigos e aquela famosa frase de ''eu não posso magoar fulana, só porque eu acho isso ou aquilo''.

Ora, mas se a vida não é achismo, então o que é? Tudo que fazemos é achismo, a ciência não tem como provar tudo o que diz, todas as nossas tentativas de uma vida melhor vão na base do achismo mesmo, quem pode ter certezas na mão?
Conheço gente que tem uma vida estupenda, apenas porque sabem ouvir sua intuição, parecem cães farejadores, sabem o caminho, mas a grande maioria das vezes seguir a intuição é ir contra a lógica dos outros, o pensamento alheio.

O problema é que se seguimos o que os outros dizem vamos dar com a cara na parede, mas a nossa intuição pode nos salvar.

Eu tanto que fui avisada de uma cicatriz que me dava arrepios, sai de uma amizade com cicatrizes piores. Falta de aviso não foi.

Iara De Dupont

Nenhum comentário:

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...