ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

22 agosto 2012

Sara Winter, mulher com passado suspeito vai para o vinagre



Sara Winter: errou no discurso e foi para o vinagre


É tanta conversa mole de todos os lados que as pessoas parecem cansadas. Agora querem nada menos do que a perfeição, em todos os sentidos.

Não existe mais ''em construção, em andamento'', se não chega perfeito não vale nada.

Existe um movimento feminista que começou na Ucrânia, o Femen. As ativistas são conhecidas no mundo inteiro porque tiram a blusa.

No Brasil elas deram o posto de representante a uma jovem Sara Winter. Com apenas 20 anos ela foi corajosa, viajou a Ucrânia e aprendeu um pouco de como fazer os protestos e voltou para o Brasil.

Ela não faz  protestos via Facebook, vai para as ruas e em geral é presa e apanha dos policiais.
Mas como tudo que começa tem seus erros. O movimento na Ucrânia já tinha algumas falhas e Sara por algum motivo estranho não se preparou, ela não é articulada, rara vez se explica e sempre acaba se enrolando, como se não soubesse do que está falando.

Alguém foi olhar o Facebook dela e descobriu que a moça tem uma queda pela direita, dizem que tem uma tatuagem nazista no pescoço e tendências fascistas.

Com essa informação ela foi devorada viva por centenas de blogs e muitos deles feministas.
Achei um espetáculo cruel e desnecessário. Sara errou em não se preparar, mas quem aos 20 anos não faz ou diz besteira? Foi um deslize bobo não apagar seu passado virtual, mas aos 20 anos existe passado? A noçao de tempo é outra.

Deus me livre ser julgada pelo que fiz ou falei aos meus 20 anos. Nem eu lembro.
A garota está perdida no meio das ideologias e das pessoas massacrando, perguntando coisas que até um especialista em política teria dificuldade em responder.

A Femen deveria ter preparado ela melhor, mas em nenhum momento é justo linchar a moça, isso parece machismo, aproveitar um erro de uma mulher para desmerecer seu discurso.
O que ela faz é muito válido, qualquer um que resolva protestar contra o sistema tem seus méritos, porque todo mundo que critica não vai na cadeia levar pão de mel.

Todos os protestos cometem erros no começo e nem precisa ser protestos, o que podemos começar e fazer direito na primeira vez? Nem um ovo frito, imagina então defender uma causa tão polêmica e que sempre arrasta a má vontade da maioria.

Sara precisa de espaço e se dedicar a ler e estudar mais o que quer combater, mas é corajosa e ver mulheres detonando ela me deixa triste, parece que não percebem que estão agindo como homens, marcando em cima de qualquer coisa que uma mulher faça.

E a tatuagem dela? Eu nunca vi, então não posso dizer, mas quem aos 20 anos não teve alguma ideologia errada? A idade serve para isso, para que a gente possa aprender e mudar.

Ah, mas ela se contradiz. Será mesmo que é privilégio dela isso? Ninguém cai em contradição nunca? Ninguém na ignorância mistura os discursos?
É justo pedir a uma menina um discurso digno de alguém com doutorado em ciências políticas?

Dizem que Sara conta com o apoio de um partidos político e tem homens na equipe, coisa que segundo a Femen não pode.

De repente tudo nela é errado, o certo é o machismo de todos os dias, o machismo das mulheres, a mulher que se atreve a protestar já aprende logo isso, é melhor não ter cometido nenhum erro no passado, caso contrário será julgada e condenada por isso e seu discurso será desconsiderado.

Há séculos vivemos debaixo de um machismo que massacra a todas, é impossível que exista um movimento que possa mudar tudo isso em questão de dias e com o discurso perfeito. Ainda estamos todos aprendendo.

O mundo está na merda porque todos estamos sentados no sofá vendo a vida passar e batendo palmas para as novelas. Sara saiu, quebrou a cara e está sendo virtualmente linchada. Mas o mundo não muda pelas pessoas que assistem televisão, mas pelas que vão as ruas exigir mudanças.
Não interessa o protesto, a causa, o movimento. O que interessa é ter a coragem de deixar o conforto para trás e dizer o que acredia, não importa se o discurso está errado, um dia a pessoa acerta.

Iara De Dupont

5 comentários:

Anônimo disse...

Pouco importa o grau de "consciência crítica" dessa moça. Ela não precisa nem mesmo abrir a boca. Sua mera existência já é um sinal claro da afinidade do feminismo com o fascismo.

Carolina disse...

Acompanho, virtualmente, a existência do Femen Br. Não conseguia entender qual a necessidade de tirar a roupa para protestar. Chamar mais atenção para a causa? Pode ser. Mas quem vai prestar atenção na causa vendo mulheres seminuas? Cheguei à conclusão de que, se as mulheres podem usar o corpo como objeto, para atender aos desejos masculinos em uma sociedade machista, p q não podem usar o corpo como objeto de protesto? Apesar de não achar essa a forma mais efetiva de protesto, pode sim ter o seu valor e chamar atenção para causa.

No entanto, outras questões começaram a aparecer. Para mim, em relação à Sara, as seguintes perguntas ficaram sem resposta:

Se a Sara não é Fascista ou de extrema direita, p q continua usando o sobrenome Winter? Por que no seu perfil do Facebook ela é admiradora de Plínio Salgado, tem fotos em shows de bandas nazistas e no seu blog se declara como sendo de “direita nacionalista”? Por que ainda não se livrou da tal tatuagem que faz referência ao nazismo?

As respostas da Sara para essas questões são sempre vagas. No entanto, vamos considerar que ela tenha mudado e que essas não sejam mais as suas convicções. Mesmo assim, ela ainda se contradiz, pelas respostas que dá. No facebook, chamou algumas mulheres que a questionavam de “mal amadas”, disse que muitas das integrantes do Femen são lésbicas por terem se desiludido com os homens. Achei muito estranho tais colocações, vindas de alguém que se diz feminista.

Em relação ao Femen, outras questões tb continuam sem respostas.
• Apesar de falarem que o Femen é uma ONG, consta (ou constava, não sei mais) no perfil um número de conta particular para captação de recursos - doações.
• O processo de seleção para se tornar ativista no Femen Br. É preciso que a menina mande uma foto de topless. Se aprovada, passa por uma entrevista virtual. Se mais uma vez for aprovada, é marcado um dia para a estreia, um protesto que a iniciante faz sozinha, como se fosse uma iniciação. Mas o essencial na luta pelos direitos das mulheres não é o conhecimento, a vontade de mudar a situação de opressão? P q uma foto de topless é imsprescindível?
• Quais são os objetivos do Femen? Até agora o que vi foi a seguinte argumentação: “Chamar a atenção da população para problemas negligenciados pelos órgãos responsáveis”. Quais são esses órgãos, que problemas são esses?
• Antes a Femen se dizia apolítica. Depois de afirmarem isso várias vezes, viram o erro que estavam cometendo e começaram a designar o movimento como apartidário. Depois, passaram a falar que não tem nada a ver com política. No meu entendimento, ser politizado não é, necessariamente, seguir um partido, mas entender os conceitos de ciência política, entender como um movimento está inserido em um cenário político e como, todos nós, somos em menor ou maior grau participantes desse contexto.

Há inconsistências no Femen não só daqui, mas tb no movimento Ucraniano. Está certo, a Sara tem apenas 20 anos, é uma fase em que mudamos mesmo e talvez essas mudanças aconteçam em uma velocidade maior. Mas, no caso dela, as mudanças são enormes, em pouquíssimo tempo e as coincidências tb são muitas.

Carolina disse...

Sinceramente, não tenho uma opinião totalmente formada, nem sobre a Sara e nem sobre o Femen. O que vejo e acho que é inegável, é o amadorismo, tanto no discurso quanto nas ações e nas estratégias.
Pelas entrevistas que já vi, a Sara, como qualquer pessoa de 20 anos, parece ser imatura e às vezes até ingênua. Acho que se não fosse de certa forma ingênua, teria se preparado mais, estudado mais, para tamanha exposição. O que me causa espanto é o movimento colocar como porta-voz uma menina visivelmente despreparada, sem questioná-la, ao menos, sobre as suas escolhas passadas e sobre como essas escolhas poderiam recair sobre ela e sobre o movimento agora.

Enfim, tb não sou a favor do ataque gratuito à Sara, mas são muitas as perguntas que ficam sem respostas. Vi a twitcam que ela fez na sexta-feira passada e não foi bacana. Enrolou muito e não respondeu o que as pessoas gostariam de saber. Nos últimos dias, os questionamentos continuam e a Femen prossegue sem dar uma posição.

Anônimo disse...

Todos nós devemos se preocupar é com uma realidade irrefutável: o dia do juizo final, isso sim que deveria preocupar a humanidade.

Betinho PQD disse...

Gostei do posicionamento ponderado da Carolina. Deparei-me com vários blogs idiotas (extremamente machistas e de direita) que desceram a lenha na moça sem argumento algum para apresentar. Apoio o que elas fazem, e acho que, sim, poderia ser algo bem mais organizado. O que tem se ela tem tattoos nazi??? O que tem se ela apoia as direitas? Ela protesta pela liberdade das mulheres socialmente, não pela correção de todos os problemas do planeta. Cada um que faça a sua parte, ainda que pequena.
Ah, e quanto ao figura anônimo aí, NÃO EXISTE NEM EXISTIRÁ JUÍZO FINAL. As divindades não nos criaram com a FINALIDADE de viver na Terra. Aqui é apenas uma escola PASSAGEIRA. Aprendam, seus fanáticos sem argumentos!!!

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...