ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

18 junho 2012

Barraco no supermercado (isso o brasileiro gosta!)


Os supermercados  tratam os clientes como se estivessem fazendo um favor
Uma maneira rápida de se irritar é ir a um supermercado em São Paulo no sábado. Poucas coisas são tão cansativas e irritantes.
Fui no sábado, estava lá eu na fila, quando percebi que tinha atrás de mim uma moça, que orientou a sua filha adolescente a ficar em outra fila, assim a que primeiro fosse atendida chamaria a outra.

Não achei a coisa mais inteligente do mundo, mas a fila estava tão longa que nada parecia dar jeito na situação.
Mas uma senhora se aproximou e perguntou a moça em que fila ela estava, educadamente ela disse que estava em uma e a filha em outra. A bomba explodiu.
A senhora, bem classe média, com toda aquela finura que só essa classe tem, começou a dizer que aquilo era uma palhaçada, brincadeira e que uma pessoa deveria estar em uma fila ou em outra, não ficar colocando os filhos em diferentes filas.

Achei que ia terminar aí, mas não terminou. Um rapaz de outra fila começou a xingar a moça e sua filha, chamando de malandras e disse que da próxima vez iria ao supermercado com cinco pessoas de sua família, assim cada uma guardaria lugar na fila. Foi tanto xingamento que a moça e sua filha não responderam nada.

E não parou. Outra senhora começou a gritar com a caixa e dizer que não deveria atender essa ''malandra''. O gerente foi chamado e era tanta a confusão que a moça e sua filha deixaram as compras e foram embora.

Achei uma coisa tão absurda que fiquei sem ação. As pessoas estavam em uma fila de um supermercado, que tem quinze caixas, mas só abre cinco, por falta de funcionários e contrata cinco funcionários para que trabalhem por quinze, são explorados, o consumidor é obrigado a ficar lá esperando para ser atendido. Fora isso o supermercado quer levar o lucro ao céu e cobra seis vezes o custo do produto.

As pessoas que fizeram esse escândalo, tudo que elas tinham no seu carrinho, tudo, tem impostos que vão desde 40 % a 60 %.

No Brasil tudo é monopólio, não temos como escolher coisas diferentes, somos quase como um supermercado cubano, obrigados a consumir o que as empresas ligadas ao governo por troca de favores querem.
Produtos de péssima qualidade enchem as prateleiras,não cumprem normas de nada, se você reclamar eles te dão um baile e te tratam como se estivessem fazendo um favor.

Aqui no Brasil ao contrário de países civilizados não temos descontos bons, cartão de fidelidade nem os famosos cupons americanos. Estamos obrigados a pagar caro por produtos ruins e não temos nenhum desconto.
Somos um dos países onde a comida é a mais cara do planeta, apesar de sermos produtores.

Então, estamos lá na fila, cheios de produtos ruins, pagando como se fosse comida francesa, sendo desrespeitados pelo supermercado, que não se dá o trabalho de colocar mais pessoal para agilizar nossa vida, pagamos altos impostos, somos explorados em juros, não temos o poder aquisitivo de um país de primeiro mundo, apesar de que trabalhamos tanto quanto eles, estamos com tudo isso nas costas e ninguém reclama disso, como se fosse normal ser tão explorado, mas na hora que uma moça coloca a filha em outra fila, isso mexe com os brios de todos.

Aquilo quase fez o supermercado pegar fogo. Ser explorado neste país tudo bem, mas alguém fazer malandragem na fila faz a classe média surtar.
É bem Brasil essa mentalidade de cortiço. Quebra a torneira do cortiço, eles se matam, mas ninguém pensa em reclamar os altos preços que a Sabesp cobra de todos nós, como se trouxesse a nossa casa água do pólo norte. Brasileiro paga conta de luz mesmo sem ter iluminação na rua, mas imagina colocar uma menina na fila, enquanto a mãe fica na outra.

Para isso somos ótimos para o cortiço do dia dia, para o barraco do nada.
Os direitos ninguém respeita e ninguém reclama. Os deveres são muitos e todos cobram, mas o cortiço é cortesia da casa, todo mundo adora dar uma barraco.
O supermercado agradece, imagina, podia ter pessoas reclamando dos preços abusivos, da falta de pessoal, mas graças a Deus os consumidores se matam entre eles fazendo picuinhas na fila.


Iara De Dupont 

Um comentário:

Poeta da Colina disse...

Nossa a garganta fica coçando para gritar com essas pessoas. O povo sempre olhando pro lugar errado, pro umbigo.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...