ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

09 março 2012

Quando penso em alguém só penso em você... (Legião Urbana)



Minha mãe tem muitas teorias. Depois de anos comprovo que são só isso, teorias não funcionam em nada além do papel, do verbo solto.

Mas tem uma que eu gosto. Outro dia comentei com ela que estava pensando em uma certa pessoa. Não sabia dizer porque, mas essa pessoa voltava ao meu pensamento o tempo inteiro, minha mãe disse que é porque essa pessoa está pensando em mim, a famosa comunicação por telepatia.


Como tudo que minha mãe diz, eu não posso provar. Mas gosto de pensar nisso. Tem tanta gente que de repente aparece na minha mente e fica ali por dias e tem uma pessoa que sempre aparece. Gosto de pensar que também pensa em mim e de preferência com culpa e remorso, depois de tudo que me fez. Eu aqui de novo, tentando controlar os pensamentos alheios!


Mas é tão pouco o que falamos para as pessoas perto do quanto pensamos nelas. Às vezes em uma briga falamos horrores, depois nos desculpamos e a vida segue, mas na mente aquela briga volta milhões de vezes, pensamos nas frases ditas e não ditas, o que poderia ter sido diferente ou não. As pessoas vivem mais dentro de nós do que fora, mais na nossa mente do que nas nossas palavras.


Quantas pessoas não me dizem nada, mas devem estar pensando em mim? Ou só eu que vivo as situações com elas e lembro? Não seria lógico. Todos pensam nas pessoas que conheceram e um dia amaram.


Ninguém fala nada, mas todos pensam em todos. Engraçado isso. Como serei nos pensamentos da pessoa que não saí da minha cabeça? Será que minha mãe tem razão e também pensa em mim? 


Se eu encontrar na rua amanhã pode ser um ''oi'' rápido, mas nos meus pensamentos tenho dias de conversa armazenada, detalhes que guardo. Sinto saudades, já liguei o skype esperando para ver se aparece, mas nunca mais apareceu.


Na vida real não tenho nada a dizer a essa pessoa. As coisas não deram certo e ponto. Mas na minha mente tanta coisa poderia ter sido diferente! Quem acreditaria que penso tanto nessa pessoa? É carência? Não sei. Nem eu queria pensar mas penso.


Os relacionamentos humanos no momento são como conversas de twitter, são rápidas, superficiais e quase sempre esbarram em algum mal entendido, uma ofensa, uma indireta. Sempre alguma coisa ali foge da verdade. Já os relacionamentos que acabam, que ficam na mente, esse parecem conversas de telefone, não terminam nunca.

Minha mente guarda bem, sabe preservar os detalhes, para assim alimentar as lembranças.

Conheci um pessoa uma vez. Não deu certo. Mas ele fez questão de voltar, para atormentar minha vida. Eu guardava ótimas lembranças e uma saudade imensa, mas quando ele voltou era tão monstruoso que rapidamente esqueci de tudo que tinha sido bom. Outro dia uma amiga me comentou isso no e-mail, quando eu escrevia sobre ele, ela via os suspiros nas linhas, agora se eu menciono ele é como uma mistura de nojo e desprezo. Ele preferiu assim, poderia ter sumido e deixado as melhores lembranças. Mas quis voltar e construir uma realidade deformada e assim me levou a esquecer tudo. Quando ele aparece na minha mente fico com náuseas.


A gente não vive nas palavras dos outros, nem nos gestos. Vivemos dentro, no fundo da mente que lembra com amor. Muitos não me disseram nada, mas talvez ainda lembrem de mim.


De quem eu tanto lembro sei que a realidade me separa. Não tem nem como, nem por onde. Ele só existe aqui, na minha cabeça, na minha saudade, na minha vontade de ter feito as coisas funcionarem. Fora dali é algum telefone que não lembro mais o número.


Minha mãe já errou em muitas previsões. Mas espero do fundo do meu coração que ela esteja certa nesta, se penso tanto em alguém é porque esse alguém pensa em mim. Parece bobagem, mas conhecendo o tamanho da mente e a capacidade que temos de armazenar coisas, fico feliz se for verdade. Se ele pensa em mim como eu penso nele, sei que então ocupo um espaço enorme em sua vida.


Iara De Dupont

4 comentários:

luciana mendonça disse...

Iara, se vc morasse aqui este post daria uma ótima sessão terapêutica! Mto conteúdo aí ;) Adoro ler seus textos...sempre tão fáceis. Quando a gente vê,acabou. Como um livro bom. Bom Dia!

Iasmin Cruz disse...

Primeira vez que passo por aqui e adorei. Que texto legal, é uma terapia.

Seguindo.

http://iasmincruz.blogspot.com/

Anônimo disse...

Amei!Parece que foi feito especialmente para mim.Simplesmente,é a situação pela qual estou passando.

Lay disse...

Hoje vivo uma situação semelhante, mas, com uma amiga. Ela se afastou de mim de uma forma tão dura, tão surreal, criou um filme totalmente no sense e resolveu viver nele... sonhei c ela duas vezes essa semana e desde então tenho pensado muito, chega a ser exaustivo. Lembro e choro, choro pq sinto saudades da amiga q eu conheci, choro pq era a irmã q eu escolhi, choro... :'((
Queria acordar e n lembrar mais de nada, sabe? N queria lembrar que conheci, q dividi tantas historias, minha família, tantos risos. Por que, hein? Por que? Me pergunto hoje se ela lembra da gente, se pensa nas meninas (a mais nova seria afilhada dela!). Doi pra caramba e eu n me conformo, é tristeza e decepção demais para uma história só... quando isso acaba? Espero q seja breve! :(

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...