ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

11 fevereiro 2012

Lá em cima tudo bem, quero ver aqui...




Sempre admirei os monges tibetanos, a renúncia que eles fazem a tudo, se isolam para se conhecer e se dedicam a meditação. Os banhos são frios e curtos, o inverno longo e tem que seguir uma rígida maneira de viver e ainda por cima tirar os melhores sentimentos para fora, como compaixão e perdão.

Acho incrível mesmo que alguém possa renunciar a tudo. Mas ultimamente venho me questionando em relação a isso.
Se eu estivesse em um lugar rodeada de pessoas que procuram a iluminação, sem nenhuma preocupação externa, apenas com a obrigação de controlar minha mente, eu poderia sim ser melhor pessoa.
Queria ver um monge chegar a iluminação no meio do caos. Porque na montanha isolada, tudo colabora com isso. Mas e no meio de uma cidade caótica, como São Paulo? No meio de pessoas que correm e tiram para fora o pior do ser humano, o egoísmo, a individualidade, a mentira, o engano?

Como ser iluminado no meio de tanto lixo tóxico? Se meus pés pisassem o chão de terra e eu acordasse sabendo que meu único trabalho o dia inteiro seria meditar e me concentrar no que penso, eu seria melhor pessoa.
Sem ambições e sem preocupações modernas a mente imagino eu, deve ser mais fácil de controlar.

Aqui no caos não é assim. Tudo perturba demais, a mente vive cheia de falsos valores que ocupam o espaço e dominam o coração. Penso todos os dias no meu futuro, passado e presente, bom, no presente penso de vez em quando. Apenas começo a diferenciar as coisas ruins e boas que aprendi e ver o que serve no mundo.

Já fui melhor pessoa. Ao contrário dos monges que avançam a um melhor patamar, eu desci. Era doce e inocente, sempre disposta a pensar bem das pessoas. Fui enganada e roubada por pessoas da minha família e mesmo assim não aprendi. Tive que passar por situações piores, colocada lá pelo meu melhor amigo, então acordei para o mundo e a maldade humana. Assim recuei e fiquei cínica, acho mesmo que deve ser mais fácil do que parece se isolar em uma montanha e procurar seu eu. Aqui na cidade que com uma simples chuva inunda tudo não é tão simples assim.

Talvez no monastério os monges sejam generosos uns com os outros e não se preocupem com a vida alheia. Aqui não, no caos é fundamental cuidar as costas e as intenções, já que todos navegam em águas não cristalinas. O mundo aqui embaixo é um mar aberto, onde existem golfinhos, atum e tubarões. É bom saber quem somos, porque todos são caça e todos são caçadores.

A montanha isolada pode ser uma prova de renúncia enorme, se isolar de todos. Mas a prova de fogo é aqui, conviver com o pior do ser humano e ainda tentar manter a calma. Não é coisa de amadores, tem que ser profissional para sobreviver.

Iara De Dupont

Um comentário:

Joice disse...

Tudo verdade o que tu escreveu!!! Hoje em dia, estou mais pra monge, pq me isolei completamente do mundo, cansei de um jeito dessas mentiras, dessas picuinhas de família, de um querendo tirar o que o outro mts vezes nem tem, de não ser valorizada que desisti de quase todo mundo... Só acredito nas crianças pq elas ainda tem uma chance... No mais, vivo no meu mundinho com meu marido e meus bichos e era isso... Acho que é por isso que não consigo melhorar da depressão, pq é terrível descobrir a verdade sobre as pessoas... Há sim pessoas que se salvam, mas elas são mais raras que diamante... Um beijo e bom fim de semana pra ti!!!

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...