ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

17 agosto 2011

Até concreto quebra







Aprendi muito coisa errada na vida e achei que eram eternas. Coisas aprendidas segundo eu eram como tatuagem, eternas.
Fechei nessa ideia, o que eu aprendi não podia ser mudado nem melhorado.

O problema é que coisas erradas não ajudam na vida.
Depois de um tempo comecei a perceber que nada do que era dito servia. Mas não conseguia mudar, achava que não tinha mais jeito e assim ia me afundando na lama.
Achava que tudo na vida depois de cair no cimento, não podia mais mudar.
Eu era assim e pensava do meu jeito.Mudar seria mais complicado do que qualquer coisa.

Mas a vida pensa na evolução e não teve pena de mim. Me empurrou de todas as maneiras possíveis, me fez descer ao fundo do poço, até que eu sem forças me visse obrigada a dizer que trocava tudo que sabia por um pouco de paz.

Tenho nos últimos anos questionado tudo que sei e penso saber. Tento quebrar cada pensamento para mudar.
Eu acordava todos os dias achando que era a mesma de ontem e por isso tinha licença para pensar como ontem. 

Mas descobri que não sou. Acordo todos os dias diferente e todos os dias posso mudar minha maneira de pensar.
É um presente da vida, podemos ser o que queremos todos os dias, afastando a lembrança de ontem e dos erros cometidos.

Não acordo mais determinando nada para mim. Vou pensar durante o dia como quero ser, como quero me sentir. Não sou uma pessoa feita e direita, estou apenas em construção e posso mudar os planos no meio do caminho.

Lembro de tudo que me disseram e tento pensar que não serve para mim. A vida inteira fui rígida, inflexível, dura e com pavor de errar. Não fui no fluxo dos movimentos, não permiti ser nada além do já construído.

Quem se diverte sendo como um pedaço de concreto? Quem pode ser feliz assim? Eu não fui. Mas o concreto quebrou, resta agora saber o que há dentro dele.

Iara De Dupont

2 comentários:

Gislene disse...

Sabe, uma vez li num livro que nós deveríamos andar com uma plaquinha assim: "Desculpe os transtornos, estou em obra". E é a mais pura verdade. Todos nós estamos constantemente em construção, e por mais que a gente não queira, acabamos incomodando alguém, muitas vezes nós mesmos. Só quando aceitamos que nunca nessa vida estaremos totalmente prontos é que temos um pouquinho de paz. Grande beijo!

Poeta da Colina disse...

Permitir-se pode ser o mais complicado.

Seja quanto for o que demore, o que sobra somos nós.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...