ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

10 maio 2011

Como somos fofinhos!



O ser humano é fofinho. Está nos sites de economia, as vendas de presentes para o dia das mães foram duas vezes mais altas do que o ano passado. Porque as pessoas compram presentes para suas mães, elas merecem. E assim somos todos fofinhos, meiguinhos e filhos gratos a essas mulheres que trabalham tanto para nos educar e colocar na vida.

Mas a primeira mãe não é a que temos em casa. É a mãe Terra. É ela que nos dá o ar, água, a terra, as frutas, os legumes, os cereais, tudo que vem da Terra. Alguém agradeceu? Não, pelo contrário, os fofinhos encheram a mamãe de presentes com embalagens que vão direto ao lixo sem reciclar, apenas sujam mais ainda os rios. Imagino o horror da mãe Terra diante de um dia que sabe que vai ser mais contaminado que os outros.

Somos fofinhos e míopes. Assim como devemos gratidão a mãe que nos pariu, devemos a Terra que suporta tanta agressão. Se a mãe Terra amanhã se revolta não teremos nem comida nem água e a mãe que nos pariu nada poderá fazer para nos salvar disso.

A relação com a mãe Terra mais do que nunca está em crise. Como filhos a abandonamos a sua própria agonia, a desprezamos, a humilhamos e ainda por cima a sujamos. Vão para o lixo contaminar a Terra nossos mp3, nossos computadores, tudo que até serve, mas não queremos mais, queremos avançar com a tecnologia. Somos filhos ingratos e birrentos. Não queremos árvores, queremos ipads. Não queremos limpar os rios, queremos consumir mais.

Assim como em novelas, damos as costas a mãe que nos alimenta. Temos medo de ser chamados de ecochatos, então fingimos que não a conhecemos.

Dizem que mãe perdoa tudo. Sim, é verdade. Perdoa, mas só enquanto está viva, depois não dá mais. A nossa mãe Terra está morrendo lentamente, agonizando, assistindo todos nós perdidos com brinquedos inúteis. Ela vê e não pode fazer nada. Mas um dia ela morre. Não vai dar nem tempo de avisar que morrendo ela, morremos todos.

Iara De Dupont

2 comentários:

Mao Punk disse...

E pensar que a mãe Terra não sofre apenas nessa data, mas todo dia! E a cada data comercial, o sofrimento avança bem mais.

Infelizmente, é como você disse: as pessoas têm medo de se tornarem "ecochatas". E é um termo um tanto injusto, né? Chato é só olhar para o próprio umbigo e atender apenas aos desejos de consumo, sem levar em conta o que realmente nos traz bem-estar.

E para quem acha que estou falando apenas da natureza, está enganado!
Falo das relações de solidariedade e respeito, coisas há muito esquecidas por conta desse sistema consumista e competitivo.

Será que é preciso maior caos que esse para as pessoas começarem a agir positivamente?

Poeta da Colina disse...

O ser humano é um projeto perdido, e acho que o planeta vai dar um jeito de viver sem nós.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...