ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

26 julho 2010

Emetofobia





Gosto de uma teoria que um dia vamos saber tudo o que aconteceu com nós. E porque aconteceu. Dizem que quando a gente morre somos informados de porque passamos o que passamos nesta Terra. Eu não cheguei  ainda na metade da minha vida e já tenho muitas perguntas.

Durante muitos anos e frequentando psicólogos sempre aparecia uma dúvida. Por que eu complicava tanto as coisas se tinha um ataque de pânico? Ficava com vontade de vomitar, então era ir no banheiro e pronto. E isso me atormentou durantes anos. Por que eu arrastava tanto o sofrimento só para não vomitar? Que parte do meu cérebro amarrava as cordas e fazia uma agonia de minutos virar uma agonia de horas? E agora lendo outros blogs e procurando na vida virtual alguma explicação, principalmente sobre o pânico, fiquei sabendo que existe uma coisa que se chama emetofobia, fobia a vomitar. Comecei a pesquisar e percebi que era isso mesmo que eu tenho, nem mais nem menos. 

Dizem que pode ser por um trauma, mas isso já é ir a territórios desconhecidos. É tão simples. Ao ler, decifrar e me identificar senti um alivio enorme. É melhor essa fobia que o invisível de não saber nunca o que acontecia comigo e 6% da população mundial sofre isso.

Só quem tem sabe a agonia que passa. Eu posso ficar horas tentando evitar vomitar, enquanto uma pessoa sem essa fobia em caso de se sentir mal vai lá, vomita e em cinco minutos está bem de novo. Já eu agonizo horas, a simples ideia, ou vontade de vomitar me faz mal, me faz sofrer e arrastar por horas o sofrimento.

Fiquei aliviada ao ler sobre isso e poder conversar com uma psicóloga sobre o assunto, eu nem imaginava que existia uma fobia dessas.
Tenho a sensação que algum fio da minha conexão foi identificado e melhor ainda saber que fui eu, que ninguém me disse nada, eu fui lá e achei um pedaço de mim em alguma explicação lógica. Preciso dessa lógica, principalmente quando sinto que minha vida se perde em curvas ilógicas. Preciso de respostas, preciso de mais perguntas, preciso de mim. Preciso o que for para construir quem eu realmente vim ser.

Iara De Dupont

13 comentários:

Nilo Neto disse...

Uma vez eu escrevi um blog durante uma síndrome de pânico que durou umas 16 horas.
Olha lá...
http://curiosidadescuriosasmesmo.blogspot.com
E um dia tenta te livrar dos diagnósticos psiquiátricos, eles são tão simplórios...
Beijo e saúde

Eldan de Lima Nato disse...

Oi Iara! Vim retribuir a visitinha que vc me fez lá no blog.
Gostei dos teus textos.
Quanto a síndromes... eu acredito que é, talvez, uma coisa banal (banal no sentido de que todos nós termo alguma). Eu mesmo já tive várias que superei completamente - como viajar de avião e medo de altura, que estão relacionas. Vamos combinar uma coisa: vamos bolar uma frase do tipo "Tenho uma síndrome e por isso sou normal. Qual é a sua?"
Que tal?
Bjo. Fica com Deus!

P.S.: Me tornei seu seguidor.

estevaofn disse...

Será que existe um "quem vim ser"?
Se existir, prefiro deixar de sê-lo agora... Pq o que me encanta é o me moldar, o me modelar, pra aí me tornar uma mistura homogênea de coisas que restaram diante do que passei, de coisas que ainda amargo por não ter consigo passar, de desejos, de sonhos, os quebrados e os não...
O modelar-me me interessa bem mais que esse papo enlatado sobre destino.
Pra mim, não há sabor nem qualidade nessa idéia de destino; pra mim, só há sabor e qualidade na idéia de liberdade, idéia essa que murcha diante do destino... :)

Blog da Mélica disse...

Parabéns pela sua sensibilidade e pelo blog.. é sempre muito bom discutir esse tema! ;) Uma ótima semana... beijos!!

Tuffy disse...

Obrigada por visitar meu blog, vote quando quiser =)
eu adorei esse seu cantinho, seus textos são muito bons, não comentem em todos que li escolhe esse mais recente =)
Precisamos mesmo de perguntas e respostas. Tenho tantas perguntas e cada vez que respondo uma surgem mil novas =/

Espero que durante a vida possamos encontrar ao menos as que nos façam felizes. E que, se for verdade, não saibamos nunca do porque que passamos o que passamos aqui na terra :s
rsrsrsrsrs
To seguindo *____*

CM disse...

Olá!
Sei perfeitamente do que fala, sinto o mesmo.
Hoje mesmo, passado dez anos de intensa ansiedade, senti-me mal disposta toda a tarde.
Suor, tremor nas mãos, boca seca, muito calor.
Cheguei ao carro, com uma garrafa de água, sentei-me, passado 5 min tudo cá pra fora =/
Mas digo, não custou nada! Senti um grande alívio e vim a conduzir por uma hora depois, tudo na boa.
Quanto a vomitar, não há problema! Não se massacre por isso.

Beijo!

Renata disse...

Eu nem consigo acreditar que encontrei alguém que tenha isso como eu.. toda a minha vida eu passei por essa ansiedade.. achava que só fosse coisa da minha cabeça, que eu era uma idiota por ter um "medinho" ilógico.. Mas agora eu sei que isso têm uma explicação.. A minha família percebia o meu comportamento estranho constante por vomitar.. Uma coisa tão "rídicula" para os outros, mas pra mim era um inferno! Eu fazia coisas repetitivas constantes que para mim fazia todo o sentido do mundo, pois se eu não fizesse achava que iria acontecer uma coisa horrível comigo ou com os ao meu lado.. que era vomitar.. era o TOC.
Eu não conseguia me controlar.. se eu parasse de fazer todo aquele meu ritual por só alguns minutos iria vomitar.. e isso era a ultima coisa no mundo que eu queria.. a ansiedade era tão grande que cheguei a pensar que preferia morrer a vomitar! A minha vida se modificava totalmente por eu ter isso, deixava de fazer ou ir a lugares por causa disso, eu deixei de ser feliz por muito tempo.. Mas hoje em dia não tenho mais tanto isso como antes.. e foi justamente a ideia de querer me entender e entender o que passava realmente na minha cabeça, o por quê e se era realmente só eu..
É muito bom mesmo encontrar alguém que tenha passado por esse transtorno como eu! Parece que tudo esta se encaixando agora.. Eu nunca deixei de temer momentos como estes.. Evito, ao máximo situações como estas, mas não como antes.. Espero mesmo que eu possa viver normalmente.. Acho que nem sei como descrever o como me sinto empolgada de encontrar alguém que tenha passado por isso e se encontrado! Adorei muito mesmo compartilhar finalmente isso com alguém que me entenda! Muito bom!

Beatriz Penna Esteireiro disse...

Oi tudo bom? Bom criei esse blog aqui: http://emotofobianuncamais.blogspot.com.br/ . Pode dar uma visitadinha por favor? Beijos, melhoras e fica com Deus s2

Anônimo disse...

oi! que incrível que achei esse blog! Concordo totalmente com a Renata, tbm tenho Toc e não sabia nem o que era Emetofobia, mas como fui tomando remédio pra toc o meu medo foi sumindo e hoje depois de 8 anos fui descobrir o que é que se passava e como me curei assim "do nada" bjs adorei me encontrar nesse post *-*

Anônimo disse...

Eu também tenho esse medo, e por ser homem, talvez eu seria mais "discriminado" caso alguém soubesse. Ninguém sabe do meu problema, exceto minha psicóloga.

Depois de vários anos, continuo com esse medo. Uma dica boa pra amenizar o problema, é assistir Naruto.

Parece idiota, mas funciona. O personagem tem sua personalidade de nunca desistir e enfretar seus medos. Quero ser igual ele! Humilde, corajoso, protetor, etc.

Não quero resolver esse medo da noite pro dia, e nem quero fazer isso sozinho. Espero que alguém me ajude, pois minha psicóloga está em periodo de gestação, o que fará com que ela não converse comigo por aproximadamente 3 meses.

Sofro muito com isso, é difícil esconder das pessoas.

Bárbara disse...

Bom, eu sofro com isso há 8 anos. Na verdade, sempre tive esse medo, mas de 8 anos pra cá, eles se intensificaram. Neste exato momento, estou em plena crise e ninguém me entende. Meus pais sabem, mas eles não acreditam que isso exista mesmo. Nós não temos condições financeiras de pagar um psicólogo, por isso eu pesquiso muito e gostaria muito de conhecer pessoas que sofressem da mesma coisa que eu, para sentir como é ser entendida. Não aguento mais sofrer com essa doença.

Anônimo disse...

meus país também não me entendiam mas teve um dia que eu comecei a chorar.e explicar tudo o que eu estava sentindo ai eles começaram a me entender melhor

Lika disse...

Descobri que devo ter essa fobia a alguns minutos,pela internet.

Não me encaixo nos extremos dessa fobia;não deixo de sair pelo medo de passar mal,mas "viciei" em Dramin e é só comer algo fora que a paranóia surge.Chega a ser irritante,pois parece que tudo que como pesa no estomago e já me sinto mal.

É apavorante os sintomas:dá tremedeira,taquicardia,pânico mesmo...pra mim normalmente passa depois que tomo minha droga,ou quando o pensamento consegue se distrair...

É bom saber que não estou sozinha...

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...